Atualização em Avaliação Musculoesquelética Baseado em Evidência

Uma boa avaliação é indispensável para o sucesso do tratamento fisioterapêutico. A mais importante das ferramentas é realização de uma avaliação com eficiência para compreender através dos dados levantados uma interpretação capaz de fornecer ao fisioterapeuta uma acurácia diagnóstica e um tratamento baseado em evidência científica.

A Moving sabendo de tal importância, realizou esta semana o primeiro curso de padronização e capacitação em Avaliação Musculoesquelético Baseado em Evidencia, ministrado pelo Dr. Adriano Pezolato, com o que há de mais atual em avaliação do sistema osteomuscular.

Todos da equipe Moving são treinados para ter uma forte compreensão da cinética/cinemática e anatomia humana, nossos serviços incluem desde a prevenção até o tratamento de lesões esportivas, trauma neurológico, ou pós-operatório.

O fisioterapeuta somente após a avaliação inicial, elabora o plano de tratamento. Nossas avaliações utilizam o que é preconizado pelas evidências científicas e, o follow up contínuo dos nossos profissionais é essencial para monitorar o progresso e determinar futuras etapas de um plano de tratamento personalizado. Todas estas medidas ajudam a garantir a melhoria contínua e evitar lesões recorrentes.

Uma nova visão sobre o RPG

O RPG é um método desenvolvido a mais de 30 anos pelo fisioterapeuta Philippe Shouchard. O método é exclusivamente manual e é fundamentado em três princípios:

  1. Individualidade: Cada pessoa é única e deve ser tratada como tal.
  2. Causalidade: Tratamos a causa e não os sintomas. É comum o sintoma se manifestar em região distante da causa. É preciso identificar e tratar essa causa.
  3. Globalidade: O indivíduo é tratado como um todo, corpo, mente e espírito.

Levamos em consideração seus anseios, sintomas, exames e atividades do dia a dia para desenvolver um trabalho corporal ativo baseado em evidência de oito posições, escolhidas após uma detalhada consulta, com o objetivo de trazer novamente ao corpo o equilíbrio necessário para uma melhor qualidade de vida.

O trabalho com o RPG é um tratamento fisioterapêutico e pode ser usado em grande parte das patologias do sistema neuromusculoesquelético, crônicas ou agudas, com sintomas ou sem sintomas, veja algumas dessas patologias tratáveis através da fisioterapia:

  • Disfunções na ATM (articulação têmporo-mandibular)
  • Hérnia de Disco
  • Dores nas costas
  • DORTs (doenças ocupacionais relacionadas ao trabalho)
  • Escoliose
  • Torcicolo
  • Bursites
  • Tendinites

Em doenças respiratórias como: asma, bronquite. Somáticas (estresse, distúrbios circulatórios, digestivos e oculares), entre outros. Tem ainda um caráter preventivo para aqueles que estão sempre buscando o bem estar e a manutenção da saúde, uma área que vem crescendo muito entre os atletas e esportistas. Associado a intervenções ergonômicas conseguimos, evitar e/ou tratar lesões associadas a posturas de trabalho.

O RPG não possui contra indicações, podendo ser realizado aplicando a todas as idades e inclusive às gestantes para adaptação das novas mudanças posturais, com a reeducação respiratória, alívio das dores nas pernas e coluna, fortalecimento do assoalho pélvico e preparação para o parto.

As sessões são realizadas de 1 ou 2 vezes por semana a critério do fisioterapeuta e os resultados são percebidos já nós primeiros atendimentos.

 

 

 

Reeducação Postural Global – O Método – Philippe Souchard
Editora: Elsevier

Você sabe o que é Pubalgia?

Pubalgia, conhecida também como Osteíte Púbica, é uma patologia caracterizada pela presença de dor na região do púbis. É uma patologia que afeta vários esportistas, com uma grande incidência em praticantes de futebol. São várias as causas de uma pubalgia, sendo de diagnóstico complexo e quanto mais precoce isso ocorrer, melhor o prognóstico.

Os sintomas mais comuns são dores na região púbica, nos adutores, ao tossir e espirrar, durante a execução de exercícios abdominais. A dor aumenta quando o indivíduo permanece apoiado apenas sobre uma perna. Suas causas são bastante discutidas na literatura, sendo que as mais relatadas são fraqueza da musculatura abdominal (superficial e profunda), disfunção da musculatura adutora, hipomobilidade e disfunção dos rotadores e abdutores do quadril e intensos treinos físicos (overtraining/sobrecarga).

O tratamento da pubalgia normalmente é consevador, porém o tratamento cirúrgico também é comum. No tratamento conservador, além da prescrição de medicamentos feito pelo médico, vários recursos terapêuticos podem ser usados, como eletroterapia, técnicas de terapia manual, crioterapia, reequilíbrio muscular (musculatura específica e estabilização central – CORE training), entre outros. O mais importante para uma reabilitação eficaz é uma boa avaliação biomecânica para diagnóstico das disfunções e correção das mesmas, uma vez que várias disfunções podem levar ao quadro de osteíte púbica.

 

Leia mais

Cervicalgia: Tratamento relaciona a Fisioterapia Manual e exercícios isométricos.

Um dos  sintomas mais comuns na prática clínica e que muitas vezes limita o paciente a realização de tarefas e movimentos simples, como por exemplo olhar para trás quando chamado, também causa dor local e em alguns casos até a dor radicular, como formigamento e alteração de sensibilidade nos ombros, braços e dedos, locais distantes da origem da dor.

A cervicalgia ou popularmente conhecida como dor no pescoço é um problema musculoesquelético, que afeta diariamente milhares de pessoas em todo o mundo. Estatitiscamente dois terços da população mundial vão ter dor no pescoço em algum momento da vida. Atualmente acomete 330 milhões de pessoas, sendo mais comum em mulheres do que em homens, porém menos comum que dor lombar.

As principais causas da cervicalgia são: Músculos fracos no pescoço ou mesmo nas costas, hiperatividade muscular, pinçamento de nervo, má postura e problemas articulares.
O diagnóstico geralmente é clínico feito pelo exame físico do paciente, com auxílio de raixo-x. Sendo assim, a fisioterapia desempenha papel importante dentro do processo de reabilitação. Uma das alternativas de tratamento é o Conceito Mulligan que visa através de uma mobilização articular sustentada (Sustained Natural Apophyseal Glides (SNAGs), reposicionar a articulação melhorando a dor e limitação de movimento.
Em recente estudo publicado em julho pelo Pak J Med Sci 2014, relaciona o uso do SNAGs e exercícios isométricos, foram avaliados no estudo 102 pacientes dentro do programa de reabilitação do Khyber Teaching Hospital (KYH), divididos em dois grupos, no qual grupo A, realizava o SNAGs mais exercícios isométricos e grupo B que só realizava terapia manual SNAGs. Ambos os grupos obtiveram tanto diminuição da dor como melhora da função, tendo o grupo A resultado superior, sendo que conciliou o tratamento manual com exercício.

No entanto, a dor cervical incomoda, mas tem solução! Procure se informar com seu fisioterapeuta, conheça e entenda a fisioterapia manual e viva sem dor.

Referência: http://www.ncbi.nlm.nih.gov/pmc/articles/PMC4121716/

Gravidez e a dor lombar: Como a fisioterapia pode reduzir a dor lombar e no quadril durante a gestação e após o parto?

    Especialistas estimam que entre 24% a 90% das mulheres apresentam dor lombar (lombalgia) ou na região do quadril quando estão grávidas. Muitas mulheres acham que esta dor vai embora quando o bebê nasce. No entanto, mais de um terço das mulheres ainda têm dor um ano após o parto. A fisioterapia durante e após a gravidez pode ajudar a diminuir a dor lombar e pélvica. As opções de tratamento mais comuns incluem a orientação de uma boa postura, a terapia de exercícios, terapia manual ou uma combinação destes tratamentos. Aprender novas maneiras de realizar atividades domésticas e de trabalho, bem como técnicas de relaxamento podem ajudar a aliviar a dor. Um estudo publicado na edição de julho 2014 de uma importante revista de fisioterapia, a JOSPT, analisou as melhores pesquisas dessa área para entender melhor os benefícios da fisioterapia no tratamento de mulheres com dores nas costas e quadril durante e após a gravidez.

    Os autores analisaram as pesquisas publicadas entre 1992 e 2013. Dos 1.284 artigos que encontraram, os autores escolheram os melhores 22 estudos que mediram o impacto de tratamentos de fisioterapia em mulheres grávidas. Foram excluídos artigos que trataram a dor nas costas durante a gravidez com medicação, cirurgia ou acupuntura. Eles descobriram que os exercícios podem diminuir a dor, melhorar a função, e limitar a licença médica para dor nas costas e no quadril relacionada com a gravidez.

    Exercícios eficazes, muitas vezes se concentram em fortalecer os músculos ao estabilizadores da coluna e  do assoalho pélvico. Exercícios também podem incluir hidroginástica, treinamento de força geral, exercícios de resistência e treino de equilíbrio. Finalmente, uma das pesquisas descobriu que a combinação de orientação postural, terapia manual, e alguns recursos terapêuticos podem ser úteis. No entanto, muito poucos estudos sobre esta abordagem têm sido publicados para ter certeza sobre seus benefícios.

    Seu fisioterapeuta pode ensinar-lhe os exercícios certos e explicar como alterar a maneira de executar algumas atividades para melhor reduzir a sua dor. Seu terapeuta também pode ajudar a decidir se outros tratamentos, como a terapia manual ou a utilização de aparelhos terapêuticos pode ser útil. Depois de uma avaliação completa, seu fisioterapeuta irá personalizar um programa de tratamento que vai funcionar melhor para você. Geralmente, você pode fazer os exercícios em casa. Para mais informações sobre o tratamento da lombalgia e dor no quadril durante e após a gravidez, entre em contato com seu fisioterapeuta.

           Referência: “Recommendations for Physical Therapists on the Treatment of Lumbopelvic Pain During Pregnancy: A Systematic Review,” J Orthop Sports Phys Ther 2014;44(7):464– 473. Epub 10 May 2014. doi:10.2519/jospt.2014.5098